Blog

HomeNotíciasEstande de vendas desaba e deixa um morto e 5 feridos na Vila Olímpia

Estande de vendas desaba e deixa um morto e 5 feridos na Vila Olímpia

Estande de vendas desaba e deixa um morto e 5 feridos na Vila Olímpia
O estande de vendas da obra de um prédio ainda a ser construído desabou na Vila Olímpia,  Zona Sul de São Paulo, por volta das 9h desta sexta-feira (22), segundo o Corpo de Bombeiros. Uma pessoa morreu e cinco ficaram feridas. Ainda não se sabem as causas do acidente.

 Segundo o capitão Carlos Duvernay, dos Bombeiros, e Milton Roberto Persoli, coordenador da Defesa Civil, as cinco vítimas tiveram ferimentos leves. Todos eram operários e foram levados ao Prontos-Socorros da Lapa e Vergueiro.

O operário Antonio Soares Nascimento, nascido em 1977, morreu no desabamento, segundo a Defesa Civil.

As buscas pelas vítimas duraram 3 horas e foram encerradas às 12h. A Globonews mostrou o resgate de três vítimas que estavam sob os escombros.

Ainda de acordo com o capitão Duvernay, a obra tinha paredes de gesso e estrutura metálica leve, o que indica ser uma “obra provisória”. Ao menos 15 viaturas dos Bombeiros foram para o local, na rua Michel Milan.

O empreendimento de alto luxo terá unidades de 275 a 592 m², com valor médio de R$ 6,9 milhões a R$ 10 milhões. A Cyrela, responsável pela obra, disse que o estande de vendas foi desativado na última quarta-feira e que as obras do prédio não começaram. O estande contava com a reprodução de uma unidade mobiliada.

A Defesa Civil ainda não sabe informar as causas do acidente e diz que, a príncipio, a obra era regular. “Não temos ideia do que provocou este colapso nesta estrutura, estamos aguardando os responsáveis da empresa que estava executando a reforma. O estande estava passando por uma reforma, então estamos esperando os encarregados, os engenheiros com as autorizações e os alvarás do projeto para que a gente possa ter uma ideia de uma possível causa”, disse Persoli.

A Subprefeitura Pinheiros informou que “aguarda esclarecimentos sobre a regularidade da implantação do estande de vendas por parte do responsável técnico da obra”.

“Os agentes da Defesa Civil Municipal aguardam a realização da perícia pela Polícia Científica para iniciar os procedimentos de vistoria e se necessário, interditar o local. Sobre a construção do empreendimento residencial, há alvará de execução de obra nova, emitido em outubro de 2015, que permite a construção da edificação”, diz nota.

Uma vizinha da obra se assustou com o barulho. “Eu estava na cozinha, ouvi um barulhão, parecia um caminhão cheio de tralha, até achei que tinha sido um acidente [de trânsito]. Fui olhar para ver o que era e começou barulho de viatura”, conta a jornalista Suelen Rodrigues, de 33 anos, uma moradora de um prédio vizinho ao local do desabamento.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil de São Paulo, Antônio de Sousa Ramalho, disse que esse tipo de acidente “não pode ocorrer”.

“A responsabilidade é da Cyrela, mesmo se contratou outra empresa para a obra. Não pode simplesmente contratar e não fiscalizar. Nós já acionamos o Ministério do Trabalho, na segunda-feira vem um auditor visitar o local e nós vamos acompanhar”, disse. “Recebi a denúncia de trabalhadores de que os funcionários da obra não tinham carteira assinada, eram informais. Vamos investigar se é isso mesmo, essa prática é comum nesse tipo de obra.”

A Cyrela informou, por meio de nota, que o estande estava desativado e que presta solidariedade às vítimas.

“A Cyrela e a ICR Construção Racionais lamentam profundamente o ocorrido na data de hoje, esclarecendo que o estande de vendas estava desativado desde a última quarta-feira. As empresas informam que estão prestando toda assistência às vítimas e suas famílias,  bem como estão auxiliando as autoridades na investigação dos fatos”, diz a nota.

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/04/estande-de-vendas-desaba-e-deixa-um-morto-e-5-feridos-na-vila-olimpia.html